terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Premiados por deixar o Rio mais seguro

Bônus será pago a 6.840 policiais. Crimes caíram 80% na região do Centro do Rio

Rio - Para os policiais do Rio, a partir de agora, combater o crime pode representar também alívio no bolso.

A Secretaria de Segurança divulgou ontem quais agentes vão receber a gratificação prometida aos integrantes das unidades da Polícia Civil e da PM que mais contribuíram para reduzir os índices de criminalidade no segundo semestre de 2009.

Ao todo, pelo menos 6.840 policiais militares e civis de 12 batalhões e 29 delegacias vão receber o prêmio — além dos agentes de três especializadas, como O DIA antecipou na semana passada.

Os melhores resultados foram obtidos por policiais da 13ª Área Integrada de Segurança Pública (Aisp), que conta com PMs do 13º BPM (Tiradentes) e agentes da 5ª DP (Mem de Sá). Nessa região, os homicídios dolosos caíram 80% nos últimos seis meses de 2009. Cada policial dessas Aisps vai receber R$ 1.500.

Os policiais da 23ª Aisp — que reúne o 23º BPM (Leblon), 14ª DP (Leblon) e 15ª DP (Gávea) — receberão premiação de R$ 1.000. Na região, os homicídios caíram 75%.

Já na 33ª Aisp, que abrange o 33º BPM (Angra), a 165ª DP (Mangaratiba), a 166ª DP (Angra) e a 167ª DP (Paraty), os policiais conseguiram, por exemplo, diminuir em cerca de 52% os roubos a veículos e vão receber gratificação de R$ 750.

Agentes de outros nove batalhões e 23 delegacias distritais, que não ficaram entre os primeiros, mas alcançaram as metas estabelecidas pelo estado, receberão R$ 500.

Para chegar aos vencedores, a Secretaria de Segurança calculou em quais áreas houve maior queda dos principais crimes: homicídio doloso, latrocínio, roubo de veículo e o roubo de rua, que inclui roubo a transeunte, roubo de celular e roubo a coletivos. O resultado foi obtido depois de uma soma de pontos em que cada crime tinha um peso diferente. O prêmio só será pago para policiais que estiveram há mais de três meses em suas unidades.

“Essa premiação é uma forma de estimular a produtividade dos policiais”, afirmou o delegado Roberto Sá, o subsecretário de Planejamento e Operação da Secretaria de Segurança.

O incentivo, de acordo com a Secretaria de Segurança, é apenas o primeiro dos que serão entregues a cada seis meses. Ainda não há previsão de quando o dinheiro vai ser depositado na conta dos policiais.

“A premiação é uma ferramenta já utilizada na iniciativa privada e que, agora, é adotada no serviço público”, disse o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame.

O comandante do 13º BPM, tenente-coronel José Guilherme Xavier, comemorou o resultado. “Coloquei policiais em locais com altos índices de roubo. A Lapa recebeu atenção especial”, avaliou.

O tenente-coronel Sérgio Alexandre, comandante do 23º BPM, explica sua fórmula. “Fiz uma reengenharia na escala e uma reciclagem dos policiais, o que animou a tropa”, disse.

Responsável pelo 33º BPM, o tenente-coronel José Luiz Castro Menezes afirmou que conseguiu colocar mais 35 policiais nas ruas e realizou reuniões semanais com a tropa.

Diretor do Departamento Geral de Polícia da Capital, o delegado Ronaldo Oliveira também festejou a premiação. “É um grande ganho para os policiais. Agora, eles têm mais um motivo para combater o crime”, acredita.

Como O DIA revelou, policiais de três delegacias especializadas também vão ser premiados. Agentes e delegados da Divisão de Roubos e Furtos de Automóveis, da Delegacia de Roubos e Furtos e da Delegacia de Combate às Drogas ganham gratificações que variam entre R$ 500 e R$ 1,5 mil.

Cidade da Polícia como um shopping

Orçada em R$ 40,8 milhões, a Cidade da Polícia, que será construída até outubro em frente à favela do Jacarezinho, terá visual de ‘shopping’.

A definição é do presidente da Empresa de Obras Públicas (Emop), Ícaro Moreno. Quiosques, quadra de esportes e até praça de alimentação serão criados para inspetores e delegados de unidades especializadas da Polícia Civil — atualmente espalhados em várias sedes pela cidade.

A licitação está marcada para o dia 10 de março. Vencerá a disputa quem apresentar o menor preço pela obra. Um empréstimo do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai bancar o empreendimento, que começará a ser erguido em abril.

A área total do local — onde existia uma gráfica da Souza Cruz — tem 41,6 mil metros quadrados. De todas as delegacias especializadas da Civil, apenas a Especial de Apoio ao Turista (Deat) e a Divisão Antissequestro (DAS) não serão removidas para o novo local. “É melhor que estas unidades continuem na Zona Sul.

Todas as outras estarão aqui, com sedes climatizadas. É importante a integração”, afirma Ícaro, que calcula que mais de três mil servidores vão trabalhar na Cidade da Polícia.

Apesar de ter inaugurado recentemente uma sede enorme na Barra da Tijuca, a Divisão de Homicídios é contemplada com um espaço na Cidade da Polícia, conforme a planta de obras da Emop.

Em outra etapa da obra, um grande estacionamento será montado em terreno da Light ao lado do complexo de especializadas. Haverá 600 vagas para viaturas; 642 para funcionários; 83 para visitantes e 10 para veículos apreendidos. Contará também com espaço para pouso de helicópteros.

Mais homicídios e roubos a residências

Os resultados dos índices de criminalidade divulgados ontem pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) revelaram aumento de homicídios no estado.

De acordo com o ISP, a incidência do crime em 2009 aumentou 1,3%, se comparada com o ano anterior.

A Secretaria de Segurança, porém, ressaltou que, no segundo semestre de 2009, houve queda de 9% dos assassinatos em comparação com o mesmo período de 2008.

O roubo a residências também apresentou alta. Segundo o instituto, a incidência do crime subiu 11,3% no ano passado.

MAIS NOVIDADES

Outras novidades estão previstas no projeto da Emop que coloca prazo de 210 dias para o vencedor da licitação concluir a obra.

ACADEPOL COM SIMULADOR

Segundo a Emop, a Academia de Polícia terá um simulador de favelas para os inspetores e delegados treinarem táticas de incursão em comunidades.

POLINTER SEM PRESOS

Não está prevista a construção de carceragem. A Polinter, atualmente, ainda tem 3.500 presos. Ou seja, na Cidade da Polícia vai funcionar apenas a parte administrativa da delegacia. Ainda haverá sedes da Polinter no Grajaú e na Pavuna e em outras 15 localidades do estado.

Arte O Dia

João Noé, Maria Inez Magalhães, Maria Mazzei e Thiago Prado

O DIA ONLINE - RIO

Roteiro dos Blocos Carnavalescos

Amigos,

A quem interessar possa, segue o roteiro dos blocos em nossa cidade.....

Ensaio da Beija-Flor - 9/2 - (Terça)
Local: GRES Beija-Flor

Ensaio da Viradouro - 9/2 - (Terça)
Local: GRES Viradouro

Bloco de Segunda - 10/2 - (Quarta)
Local: Far Up

Ensaio da Portela - 10/2 - (Quarta)
Local: GRES Portela

Ensaio da Porto da Pedra - 10/2 - (Quarta)
Local: GRES Porto da Pedra

Desfile - Cobra Sarada - 11/2 - (Quinta)
Local: Rua Gago Coutinho - Largo do Machado

Desfile do Mamelúdicos Eufóricos - 11/2 - (Quinta)
Local: Rua Visconde de Caravelas - Botafogo

Carmelitas - 12/2 - (Sexta)
Local: Esquina da Ladeira de Santa Teresa com Rua Dias de Barros, Santa Teresa

Desfile - Banda do Lido - 12/2 - (Sexta)
Local: Ronald de Carvalho - Copacabana

Desfile - Brejeiro - 12/2 - (Sexta)
Local: Rua Paulo VI - Flamengo

Desfile - Rola Preguiçosa - 12/2 - (Sexta)
Local: Rua Maria Quitéria - Ipanema

Ensaio da Portela - 12/2 - (Sexta)
Local: GRES Portela

Ensaio da Porto da Pedra - 12/2 - (Sexta)
Local: GRES Porto da Pedra

Monobloco - 12/2 - (Sexta)
Local: Fundição Progresso

Sapucapeto - 12/2 - (Sexta)
Local: Rua Dias Ferreira (Entre a Professor Azevedo Marques e a Ataulfo de Paiva) - Leblon

Suvaco do Cristo - 12/2 - (Sexta)
Local: Teatro Odisséia

Ven ni mim que sou facinha - 12/2 - (Sexta)
Local: Praça General Osório - Ipanema

Baile de Carnaval do Cordão da Bola Preta - 13/2 - (Sábado)
Local: Centro Cultural do Cordão da Bola Preta

Barbas - 13/2 - (Sábado)
Local: Rua Arnaldo Quintela, Botafogo

Cordão do Bola Preta - Desfile - 13/2 - (Sábado)
Local: Cinelândia

Desfile - Bakidilata - 13/2 - (Sábado)
Local: Rua Batista da Costa - Jardim Botânico

Desfile - Banda de Ipanema - 13/2 - (Sábado)
Local: Rua Gomes Carneiro - Ipanema

Desfile - Banda do Bairro Peixoto - 13/2 - (Sábado)
Local: Av. Atlântica - Copacabana

Desfile - Empurra Que Pega - 13/2 - (Sábado)
Local: Av. Delfim Moreira - Leblon

Desfile - Escangalha - 13/2 - (Sábado)
Local: Rua Orsina da Fonseca - Gávea

Desfile - Estica do Flamengo - 13/2 - (Sábado)
Local: Rua Marquês de Abrantes - Flamengo

Desfile - Fogo na Cueca - 13/2 - (Sábado)
Local: Maestro Francisco Braga - Copacabana

Desfile - Inimigos do Império - 13/2 - (Sábado)
Local: Rua Dias Ferreira - Leblon

Desfile - Não Mexe que fede - 13/2 - (Sábado)
Local: Av. Atlântica - Copacabana

Desfile - O Remédio é o Samba - 13/2 - (Sábado)
Local: Avenida Atlântica - Copacabana

Desfile - Ulalá Balancê - 13/2 - (Sábado)
Local: Avenida Atlântica - Copacabana

Ensaio da Viradouro - 13/2 - (Sábado)
Local: GRES Viradouro

Folia no Circo - 13/2 - (Sábado)
Local: Circo Voador

Interferência Sistema de Som - 13/2 - (Sábado)
Local: Parque dos Patins - Lagoa Rodrigo de Freitas

O Pluto é o filho da Pluta - 13/2 - (Sábado)
Local: Largo do Machado

Qual seu preço, meu amor? - 13/2 - (Sábado)
Local: Rua dos Oitis - Gávea

Baile de Carnaval do Cordão da Bola Preta - 14/2 - (Domingo)
Local: Centro Cultural do Cordão da Bola Preta

Bangalafumenga - 14/2 - (Domingo)
Local: Horto

Bloco Cru - 14/2 - (Domingo)
Local: Pista 3

Búzios Carnaval 2010 - DJ Marlboro - 14/2 - (Domingo)
Local: Búzios Bay View

CarnaCruzeiro 2010 - 14/2 - (Domingo) Vídeo para esta notícia
Local: Navios MSC Orchestra, Zenith, Costa Mágica, MSC Lirica e Souvereign

Desfile do Que Merda É Essa? - 14/2 - (Domingo)
Local: Bar Paz e Amor – Rua Garcia D´Ávila, esquina com Rua Nascimento Silva, Ipanema

Ensaio da Imperatriz Leopoldinense - 14/2 - (Domingo)
Local: GRES Imperatriz Leopoldinense

Ensaio da União da Ilha do Governador - 14/2 - (Domingo)
Local: GRES União da Ilha do Governador

Folia no Circo - 14/2 - (Domingo)
Local: Circo Voador

Baile de Carnaval do Cordão da Bola Preta - 15/2 - (Segunda)
Local: Centro Cultural do Cordão da Bola Preta

Bloco Virtual - 15/2 - (Segunda)
Local: Posto 9 - calçadão da praia entre as ruas Joana Angélica e Vinicius de Moraes, Ipanema

Búzios Carnaval 2010 - Monobloco - 15/2 - (Segunda)
Local: Búzios Bay View

Desfile do Bloco de Segunda - 15/2 - (Segunda)
Local: Cobal do Humaitá – Rua Voluntários da Pátria 446, Humaitá

Folia no Circo - 15/2 - (Segunda)
Local: Circo Voador

Baile de Carnaval do Cordão da Bola Preta - 16/2 - (Terça)
Local: Centro Cultural do Cordão da Bola Preta

Desfile do Bloco da Ansiedade - 16/2 - (Terça)
Local: Mercadinho São José – Rua das Laranjeiras 90, Laranjeiras

Desfile do Meu Bem Volto Já - 16/2 - (Terça)
Local: Avenida Princesa Isabel, esquina com a Rua Barata Ribeiro, Copacabana

Ensaio da Unidos da Tijuca - 16/2 - (Terça)
Local: GRES Unidos da Tijuca

Folia no Circo - 16/2 - (Terça)
Local: Circo Voador

Suvaco de Cristo - 16/2 - (Terça)
Local: Teatro Odisséia

Monobloco - 19/2 - (Sexta)
Local: Fundição Progresso

Ressaca de Carnaval - Bangalafumenga - 20/2 - (Sábado)
Local: Fundição Progresso

Ressaca de Carnaval - Monobloco - 26/2 - (Sexta)
Local: Fundição Progresso

Desfile do Monobloco - 28/2 - (Domingo)
Local: Avenida Rio Branco esquina com Presidente Vargas saindo em direção à Cinelândia

NOTÍCIAS EM DESTAQUE.

Policial do Bope é baleado com dois tiros em Nova Iguaçu

POR LUARLINDO ERNESTO

Rio - O cabo da Polícia Militar Alessandro de Souza Pimenta foi ferido a tiros por bandidos que o cercaram na Travessa Damas Batista, em frente ao número 12, bairro Andrade Araujo, Nova Iguaçu.

O policial, que é lotado no Bope, saia de casa para trabalhar quando os desconhecidos o balearam.

Segundo informações do 20º BPM, o cabo recebeu dois tiros, um na mão e um no peito. O policial conseguiu ainda balear um dos bandidos.

Ele foi socorrido por vizinhos e está sendo operado no Hospital da Posse.

O DIA ONLINE - RIO

Grupo de extermínio da Baixada tem PM lotado na Civil

Camilo Coelho

Mandado de Prisão

A juíza Elizabeth Machado, da 4 Vara Criminal de Nova Iguaçu, decretou a prisão temporária de um grupo de extermínio que atua em toda a Baixada Fluminense.

E um dos crimes foi cometido à luz do dia. Há duas semanas, o policial militar Wagner Dantas Alegre tentou executar um desafeto com vários tiros de fuzil, às 15h, em uma rua movimentada de Nova Iguaçu. Na ação, Alegre usava a camisa cinza da Polícia Civil — ele estava cedido para a Delegacia de Repressão às Armas e Explosivos (Drae).

Além de Alegre, também estão sendo procurados o ex-fuzileiro naval Albano Pereira Marinho Neto, Victor Pimenta da Silva e o ex-PM Péricles de Castro Alves Bezerra.

Os quatro tentaram matar Carlos Davi Lira do Nascimento porque pensaram que ele estava ajudando a polícia em uma investigação contra o grupo de extermínio. Davi conseguiu fugir e está internado no Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas o pai dele, José Maria do Nascimento Neto, morreu no local.

A mãe e uma irmã de Davi também foram atingidas pelos disparos.

Péricles de Castro Alves Bezerra

Na decisão, a juíza escreveu que os integrantes do grupo são apontados como "exterminadores justiceiros que aterrorizam a comunidade (...) trazem em si sério risco à escorreita investigação dos fatos pela natural intimidação que provocam".

A investigação, feita por policiais da 58 DP (Posse) mostra que o ex-PM Péricles planejou mas não participou do ataque, porque era vizinho de Davi. O crime aconteceu na Rua Denise, bairro Monte Líbano.

Na semana passada, os policiais tentaram cumprir os mandados de prisão, mas não conseguiram. Na Drae, a delegada Márcia Beck informou que o PM Alegre já foi devolvido para a PM. As duas armas que ele usava enquanto esteve na delegacia foram apreendidas e vão passar por perícia.

Caso de Polícia - Extra Online_

Taxista feito refém morre após acidente durante perseguição no interior de SP

Vítima estava no porta-malas do carro, que bateu em um barranco.
Caso aconteceu em rodovia de Jundiaí na madrugada desta terça.

Do G1, com informações do Bom Dia São Paulo

 

Um taxista que estava preso dentro do porta-malas de seu carro morreu durante uma perseguição policial na Rodovia Vereador Geraldo Dias, em Jundiaí, a 58 km de São Paulo, na madrugada desta terça-feira (9). O homem, de 42 anos, havia sido feito refém por assaltantes.

Policiais suspeitaram dos quatro ocupantes do veículo e iniciaram uma perseguição. O carro bateu em um barranco, e o taxista chegou a ser socorrido com vida, mas morreu.

Segundo a Polícia Militar, não havia marcas de tiros no corpo dele.

Os quatro homens que estavam no carro também foram encaminhados para o hospital.

G1 > Edição São Paulo

domingo, 7 de fevereiro de 2010

PMs são atropelados na Zona Portuária do Rio

Policiais estavam de folga no momento do acidente.
Eles foram socorridos no Hospital Souza Aguiar.

Do G1, no Rio, com informações da TV Globo

Dois policiais militares foram atropelados na madrugada deste domingo (7) na Avenida Rodrigues Alves, na Zona Portuária do Rio.

Segundo a Polícia Militar, o sargento Evandro Figueira dos Santos, do 12º BPM (Niterói), e o cabo Claudionor Carvalho Lima, do 1º Comando de Policiamento de Área, estavam de folga no momento do acidente, que ocorreu por volta das 4h30 de domingo, em frente à Rodoviária Novo Rio, na pista sentido Zona Sul.

Eles foram atropelados pelo motorista de um Fiat e socorridos no Hospital Souza Aguiar, no Centro. Segundo a PM, ainda não há mais informações sobre o motorista e o estado de saúde das vítimas, mas eles não estariam em estado grave. Os policiais devem ser transferidos ainda neste domingo para o Hospital da Polícia Militar, no Estácio, na Zona Norte do Rio.

G1 > Edição Rio de Janeiro

PRF apreende 1,6 mil balas de fuzil em blitz na Rio-Santos

Foi encontrada ainda uma luneta usada por atiradores de elite.
Material estava escondido no painel de veículo.

Do G1, no Rio

Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreenderam mais de 1.600 munições de fuzil e um equipamento de precisão ótica durante uma revista em um veículo na Rodovia Rio Santos (BR-101), em Parati, no Sul Fluminense. A apreensão ocorreu no fim da tarde de sábado (6) no Km 574, em frente a um posto da PRF.

Os policiais pararam para fiscalizar um Fiat Siena em que estavam, além do motorista, um homem, uma mulher e uma menina de 4 anos.

Uso exclusivo das Forças Armadas

Durante a conversa com os ocupantes do veículo, os policiais perceberam nervosismo e desconfiaram das respostas. Os agentes então fizeram uma revista no veículo e encontraram 1.600 balas de fuzil calibre 7.62, dos tipos curto e longo, que, segundo a PRF, são de uso restrito das Forças Armadas e da polícia.

Foi encontrada ainda uma luneta normalmente usada por atiradores de elite em tiros de precisão. O material, envolvido em meias de nylon, estava escondido no interior do painel de instrumentos do carro.

Os ocupantes do veículo foram detidos e encaminhados com os objetos para a 167ª DP (Parati).

G1 > Edição Rio de Janeiro

PM resgata corpos de três operários mortos em favela

Segundo operário, três trabalhadores foram mortos por criminosos.
Ainda não sabe se eles foram confundidos com rivais por traficantes.

Do G1, no Rio, com informações da TV Globo

Os corpos de três operários mortos por supostos traficantes no conjunto de favelas do Alemão, no subúrbio do Rio, foram resgatados por policiais do 16º BPM (Olaria) na tarde deste domingo (7).

A primeira versão dá conta de que eles teriam sido confundidos pelos criminosos com integrantes de uma quadrilha rival, mas essa informação não foi ainda confirmada, segundo o relações públicas da PM, capitão Ivan Blaz.

Até momento, estão identificados um morto e um ferido. O corpo do motorista Fábio de Lima de Andrade, de 46 anos, seria um dos resgatados pela operação policial nas favelas. O ferido é Wiliam Siqueira Guimarães, de 33 anos, que está internado no Hospital Getúlio Vargas.

Entre os dois mortos não identificados, um deles seria o cozinheiro, de 60 anos presumíveis.

Ataque na chegada ao trabalho

Segundo o capitão Blaz, a PM tomou conhecimento do fato depois que William, funcionário de uma empresa que explora uma pedreira na comunidade, contou ter sido atacado na estrada que liga a pedreira à Favela da Fazendinha, na manhã deste domingo.

Em depoimento, ele, que está internado, acrescentou que o grupo chegava para trabalhar numa Saveiro quando criminosos atiraram contra o veículo. Segundo Wiliam, dois trabalhadores estavam na cabine, enquanto ele e outro operário viajavam na caçamba do carro.

Trabalhador foi atingido no joelho

Atingido no joelho, ele contou à polícia ter se fingido de morto e pulado de uma ribanceira para fugir. Os outros três operários teriam morrido no local. Ferido, ele está sendo atendido no Hospital Getúlio Vargas, na Penha, também no subúrbio.

Policiais do 16º BPM (Olaria) fazem uma operação neste momento na comunidade para localizar os corpos. Até o momento, nenhum corpo foi localizado. A polícia também não tem informações sobre o que teria motivado o suposto ataque dos criminosos.

G1 > Edição Rio de Janeiro

sábado, 6 de fevereiro de 2010

PM é preso suspeito de agredir mulher em Belford Roxo

PM foi preso em casa por agentes da Delegacia de Atendimento à Mulher.
Contra ele há um mandado de prisão expedido pela Justiça.

Do G1, no Rio, com informações da TV Globo

Um policial militar foi preso na quinta-feira (4) suspeito de agredir a esposa em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Segundo a Polícia Civil, o policial de 39 anos foi localizado em casa, por agentes da Delegacia Especial de Atendimento a Mulher (Deam).

De acordo com os agentes, contra ele há um mandado de prisão expedido pelo 1º Juizado de Violência Doméstica e Familiar, de Belford Roxo. De acordo com a polícia, o PM foi preso após desrespeitar o pedido de medida protetiva solicitada pela vítima.

A medida determinava que o PM ficasse a pelo menos 200 m de distância da mulher. Segundo informações dos policiais, a mulher do policial era agredida pelo cabo desde 2007, e fez três registros contra ele. O PM foi encaminhado ao Batalhão Prisional da Polícia Militar, onde ficará à disposição da Justiça.

G1 > Edição Rio de Janeiro

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Filho de coronel da PM está em cela separada na Polinter

Marcelo Gomes

Na Tijuca

Paulo Olímpio (de vermelho) é levado para a Polinter após ser preso. - Foto: Guilherme Pinto/31.01.2010

Preso desde domingo na carceragem da Polinter do Grajaú acusado de assalto, Paulo Olímpio Ferreira Lopes, de 25 anos, está numa cela conhecida como “seguro” (destinada a presos que correm risco de vida), por ser filho de policial.

O rapaz é filho do coronel da PM reformado Paulo César Lopes, famoso pelo rigor com a disciplina.

Paulo Olímpio está numa cela com outros dez presos. No local, há uma TV e um DVD, levados pela família de outro preso. Isto está sendo permitido com a implantação da “carceragem cidadã” nas unidades da Polinter.

Segundo policiais, até o momento nenhum familiar foi visitar Paulo Olímpio na cadeia. Apenas sua advogada esteve lá, anteontem, e levou roupas e objetos de higiene pessoal. Na cela, os presos dormem sobre mantas estiradas no chão. Colchões são proibidos, por serem altamente inflamáveis.

O rapaz conversa com os outros presos, dorme e se alimenta normalmente. Na manhã desta terça-feira, ele comeu pão com manteiga com café com leite. O almoço foi arroz, feijão, carne picada e batata. O jantar foi arroz, feijão, salsichão e farofa. A sobremesa foi bananada.

Caso de Polícia - Extra Online

PMs chegaram a Fabinho após denúncia precisa

por Camilo Coelho

Morte no Salgueiro

A morte do traficante Fábio Barbosa de Moura, o Fabinho, que é chefe do tráfico no Morro do Salgueiro, na Tijuca, só foi possível porque um vizinho ao prédio onde ele estava escondido ligou para o Disque-Denúncia (2253-1177).

A denúncia chegou ao batalhão às 11h17m, com direito ao endereço completo e até o número do apartamento onde o bandido estava escondido. Uma equipe do 6º BPM (Tijuca) que estava no Morro do Turano foi enviada para checar a informação.

Os policiais entraram no prédio, que fica no número 30 da Rua General Roca, subiram as escadas e bateram na porta do apartamento. Fabinho abriu a porta, colocou o braço para fora e começou a atirar.

Houve uma intensa troca de tiros e o bandido foi baleado. Fabinho ainda foi socorrido para o Hospital do Andaraí, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo policiais que investigam o traficante, ele controlava a venda de drogas no Morro do Salgueiro há 10 anos.

Ele assumiu a favela depois da morte de Maurício Francisco de Azevedo, o Ná, que controlou o tráfico na favela durante 9 anos.

Como era muito querido na comunidade, a notícia da morte de Fabinho se espalhou rapidamente e motos passaram pelo comércio do bairro determinando que as portas fossem fechadas.

Esperando uma manifestação de moradores, o coronel Fernando Príncipe, comandante do batalhão, pediu apoio do Batalhão de Choque e reforçou o policiamento na região.

Com Fabinho foram apreendidas uma pistola calibre 40 e duas granadas. O material foi levado para a 19ª DP (Tijuca), onde o caso foi registrado.

Os policiais do batalhão da Tijuca acreditam que a venda de drogas no Salgueiro vai ficar sob a responsabilidade um traficante conhecido apenas como Talimã, que estava no Morro da Formiga.

Caso de Polícia - Extra Online

Recompensa pela prisão do assassino de Talita

Camilo Coelho

Tragédia em Itaboraí

O programa Disque-Denúncia (2253-1177) está oferecendo uma recompensa de R$ 1 mil por informações que levem à prisão do assassino Rafael Gabriel Corrêa, autor do disparo que matou a menina Talita Teixeira da Silva, de 7 anos, na última segunda-feira.

Segundo policiais da 71ª DP (Itaboraí), Rafael não tem dinheiro para fugir e estaria vagando pela cidade, se escondendo da polícia.

Na terça-feira, os agentes receberam a informação de que ele estaria em uma casa abandonada, em uma área de matagal.

Quando conseguiram chegar, Rafael já tinha fugido.

O delegado Luiz Antônio Ferreira, que investiga o caso, pediu ajuda para a população de Itaboraí.

Caso de Polícia - Extra Online

Policia procura mandante de crime contra subsecretário de Niterói

Segundo delegado, PM foi contratado apenas para executar a ação.
Suspeito vai responder pelo crime de homicídio qualificado.

Tássia Thum Do G1, no Rio

Após a prisão de um policial militar suspeito de matar o subsecretário de Transportes de Niterói, Ademar Reis, a Polícia Civil investiga quem seria o mandante do crime. O delegado responsável pelo caso, Mario da Silva, da 77ª DP (Icaraí), acredita que o PM, preso nesta quarta-feira (3), tenha sido contratado apenas para executar a ação.

"Acreditamos que o PM não tenha assassinado o subsecretário por uma motivação pessoal. As investigações apontam que ele foi contratado para executar visando aos interesses ilícitos de uma outra pessoa ou até de um grupo", disse o delegado.

O PM foi encaminhado na tarde desta quarta-feira (3) ao Batalhão Especial Prisional da Policia Militar, onde deverá cumprir a prisão temporária de 30 dias.

Segundo a policia, o policial vai responder pelo crime de homicídio qualificado, podendo ser condenado a 30 anos de prisão.

"Os autos indicam que o crime foi premeditado e foi praticado com o objetivo de garantir vantagens ilícitas. Além do mais, a vítima não teve a menor possibilidade de defesa", explicou o delegado Mario da Silva.

PM é suspeito de integrar máfia de vans

A policia informou ainda que o PM suspeito de assassinar o subsecretário responde a outros processos, em que é acusado de praticar os crimes de extorsão, homicídio e formação de quadrilha. O policial militar também é suspeito de integrar um grupo relacionado ao transporte alternativo, na região de São Gonçalo e Niterói, na Região Metropolitana. Em 2008, o PM ficou preso por seis meses.

O PM foi preso no batalhão onde trabalhava, em Itaboraí, após a polícia ter divulgado o retrato-falado do suspeito.

Quebra de sigilo telefônico

A polícia pediu a quebra do sigilo telefônico do subsecretário. Para ajudar nas investigações, a prefeitura mandou lacrar todos os documentos relacionados à concessão de autonomias de táxi.

O subsecretário investigava por conta própria o esquema de fraudes na transferência de autonomia de táxis que envolveria funcionários da Secretaria de Transportes.

Crime

O subsecretário estava com um motorista em um carro oficial quando foi atingido. Ademar chegou a ser levado para o Hospital Universitário Antônio Pedro, mas não resistiu. Segundo a assessoria do hospital, ele sofreu duas paradas cardíacas.

Testemunhas contaram que o carro em que Ademar estava foi fechado por um veículo com dois homens, na Rua Joaquim Távora, quando ele saía de casa em direção ao trabalho. Um dos criminosos saltou e fez vários disparos em direção ao subsecretário.

As imagens gravadas pela câmera de segurança mostram uma jovem correndo, assustada, para dentro de um prédio no momento dos tiros. O carro que seria dos criminosos aparece no alto do vídeo, deixando o local.

Combate ao transporte irregular

Ademar Reis estava há um ano no cargo e vinha trabalhando para regulamentar o transporte na cidade. Entre suas atribuições estava a de combater vans ilegais e reprimir transferências fraudulentas de autonomia para taxistas.

O subsecretário andava há dois meses sempre com uma pasta. Dentro dela havia documentos importantes que provariam as fraudes. Segundo os investigadores, a pasta não foi levada pelos criminosos, mas desapareceu logo após o crime.

G1 > Edição Rio de Janeiro

domingo, 31 de janeiro de 2010

‘Meu filho foi desleal e vai pagar por sua insensatez’, diz coronel da PM

Paulo César Lopes disse que atitude do filho é motivo de revolta.
Jovem foi preso neste domingo suspeito de assalto na Zona Norte.

Rodrigo Vianna Do G1, no Rio

 

Após a prisão do filho, suspeito de praticar assaltos na Tijuca, na Zona Norte do Rio, o coronel da PM Paulo César Lopes afirmou, na tarde deste domingo (31), que recebeu a notícia com revolta e decepção. Segundo ele, o filho terá a sua assistência no que diz respeito à defesa, mas ele não pretende comparecer à delegacia.

“Eu recebi a notícia com um sentimento de dor como qualquer outro pai numa situação como essa. Eu sempre cumpri com meu dever paterno, com orientações e, sobretudo, como um exemplo, mas meu filho é maior de idade. Ele foi desleal e vai pagar por sua insensatez”, disse Paulo César.

A prisão aconteceu por volta das 05h45 deste domingo, na esquina da Rua Barão de Mesquita com Avenida Maracanã. De acordo com a polícia, além do filho do coronel, outros dois homens, entre eles um policial militar também foram presos. Eles teriam assaltado uma vítima na saída do ensaio de uma escola de samba.

O coronel Paulo César Lopes informou que o filho já foi investigado pela polícia por suposto envolvimento com traficantes do Morro de São Carlos, no Estácio, também na Zona Norte da cidade. Segundo ele, o jovem já teria sido preso anteriormente. Muito indignado, o policial acrescentou que ainda não falou com o filho após a prisão.

“Eu não falei com ele e ele ainda não me ligou, porque ele sabe como eu estou me sentindo nessa hora. Ele não quis ouvir as minhas orientações de pai, aos meus conselhos e agora está pagando por isso. Infelizmente filho a gente não escolhe, amigo sim”, completou o PM.

Pai não pretende visitar filho na prisão

Conhecido fora do Brasil pelo rigor com a disciplina e o combate à violência policial, o coronel Paulo César Lopes afirmou que não pretende visitar o filho na prisão. Segundo ele, o jovem terá todo o auxílio judicial. A família ainda vai acionar um advogado de defesa para cuidar do caso.

“Eu vou prover os recursos e vou acionar um advogado para defendê-lo, mas eu não vou me submeter ao vexame de visitar o meu filho na prisão. Eu sempre dei o meu apoio, sempre compareci com os meus deveres de pai, mas é decepcionando descobrir que seu filho tem um aptidão como essa”, declarou Paulo César.

O coronel da PM informou, ainda, que antes do filho concluir um curso de gastronomia em 2009, ele ainda fez uma prova para a Polícia Militar, em 2007, mas não passou. Segundo o pai, o rapaz foi reprovado no exame psicológico e não recebeu tratamento especial por ser filho de um coronel.

O crime

De acordo com a polícia, os três homens, que estavam num Meriva com placa clonada, seguiram em direção à Zona Norte atrás da vítima que tinha acabado de sair de um ensaio de uma escola de samba. Segundo a vítima, os suspeitos interceptaram seu carro na Tijuca, na Zona Norte, para roubar seu cordão de ouro.

Uma patrulha do 6º BPM (Tijuca) que fazia ronda na região, flagrou o momento em que os homens rendiam a vítima. Os suspeitos, então, entraram no carro e tentaram fugir.

Houve perseguição e troca de tiros, até que a patrulha conseguiu interceptar os assaltantes na esquina da Rua Barão de Mesquita com Avenida Maracanã, na Tijuca. Os policiais apreenderam duas pistolas – uma delas com a numeração raspada - com os suspeitos. Ninguém ficou ferido.

Os suspeitos foram levados para a 20ª DP (Vila Isabel), onde foram autuados por receptação, porte ilegal de arma e roubo. Na delegacia, segundo a polícia,eles foram reconhecidos por outras vítimas que teriam sofrido a ação dos suspeitos na madrugada deste domingo na Penha, no subúrbio.

De acordo com a assessoria da PM, o policial militar detido será encaminhado ao Batalhão Especial Prisional (BEP), em Benfica, também no subúrbio.

G1 > Edição Rio de Janeiro

Filho do Coronel Lopes é preso durante assalto a mão armada

Rio - O filho do Coronel Lopes, famoso por sua fama de durão, foi preso esta madugada cometendo assaltos a mão armada. Paulo Olímpio Ferreira Lopes, 28 anos, foi levado para a 20ª DP por policiais do 6º BPM (Tijuca) junto com o Leonardo Gusmão Rodrigues, 25, e o soldado do 17º BPM (Ilha do Governador) Glauco Telles Nunes, 30. Os três foram presos em flagrante acusados de assaltar um escrivão de cartório, na Rua Barão de Mesquita, na Tijuca, Zona Norte.

Foto: Reprodução do site 'Daily Mail'

Durante a perseguição, os três suspeitos dispararam contra os policiais | Foto: Severino Silva / Agência O Dia

O motorista voltava do ensaio de um escola de samba no Clube Monte Líbano, na Lagoa, na Zona Sul quando foi abordado pelos criminosos, que estavam em um Meriva roubado, próximo ao Batalhão de Polícia do Exército. Armado com uma pistola calibre 380, Paulo Olímpio se identificou como PM e abordou a vítima, pedindo que entregasse o cordão, relógio e pulseira de ouro. Policiais do 6º BPM (Tijuca) que passavam pelo local viram a cena e seguiram em direção ao bandido.

Ao perceber a aproximação dos policiais, o criminoso tentou escapar junto com os dois comparsas. Houve perseguição e os PMs dispararam contra o veículo, fazendo com que os bandidos desistissem da fuga e se rendessem. Em poder do trio foram apreendidas duas pistolas calibre 380, uma delas com a numeração raspada. Ninguém ficou ferido durante a ação.

Outras quatro vítimas de roubo na Zona Norte, que também podem ter sido assaltadas pelo trio, estão na delegacia para fazer o reconhecimento dos criminosos.

O DIA ONLINE - RIO

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Decreto promove 38 delegados da Polícia Civil

por Giampaolo Braga

diário oficial

O Diário Oficial do estado do Rio desta quarta-feira trouxe decretos do governador Sérgio Cabral promovendo 38 delegados de Polícia Civil.

As promoções são as seguintes:

 

De 2ª para 1ª Classe

Por antiguidade:

Paulo Cesar de Almeida Valentim

Armando Marcio Zuccarelli

José Soares dos Santos

Edgar Antonio Cumani

José Afonso Mota

José Fagundes de Rezende

Alcides Alves Pereira

Anderson Ribeiro Pinto

Luís Zettermann

 

Por merecimento:

Deoclécio Francisco de Assis Filho

Elisabete Oliveira Bastos da Silva

Fernando Antonio Paes de Andrade Albuquerque

Paulo Henrique da Silva Ribeiro

Antonio Ricardo Lima Nunes

Márcio Mendonça Dubugras

Fábio Oliveira Barucke

Gilson Emiliano Soares

Andrea Nunes da Costa Menezes

 

De 3ª para 2ª Classe

Por antiguidade:

Alexandre Capote Pinto

Ivailson Moreira Sardinha

Karina Regupe Gonçalves Lopes

Carla Conceição Guimarães Tavares de Lima

Gilson Perdigão Soares de Azevedo Filho

Debora Ferreira Rodrigues

Luciano Pinheiro Zahar

Fernanda Marchesi Neves

Sandro Caldeira Marron da Rocha

Antonio da Luz Furtado

Viviane da Costa Ferreira Pinto

Gabriel Ferrando de Almeida

Por merecimento:

 

Leandro Aquino da Silva

Alexandre Herdy Barros Silva

Franquis Dias Nepomuceno

Delmir da Silva Gouvea

Matheus de Almeida R. Lopes

Davi dos Santos Rodrigues

Aldrin Genuino da Rocha

Felipe Lobato Curi

 

Caso de Polícia - Extra Online

Três baleados e três presos durante troca de tiros no Morro do Juramento

Cerca de 15 bandidos estariam comemorando em um churrasco o assassinato de policiais no início do mês em Madureira

POR BARTOLOMEU BRITO

Rio - Três bandidos foram baleados e outros três foram presos, na tarde desta quarta-feira, durante troca de tiros com policiais militares do 9º BPM (Rocha Miranda), no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, Zona Norte do Rio.

Policiais foram investigar uma denúncia de que bandidos acusados de executar um sargento e um soldado da PM, no início do mês em Madureira, estavam comemorando o crime em um churrasco no alto do morro. Cerca de 15 marginais participavam da comemoração. Ao entrar na comunidade, houve troca de tiros, o que provocou pânico entre as pessoas que passavam pelo local. Motoristas que passavam pela avenida Pastor Martin Luther King se assustaram com o conflito.

Durante a ação, que contou com o apoio de um carro blindado, foram apreendidas duas granadas, duas pistolas, uma carabina e uma grande quantidade não contabilizada de drogas. O material foi encaminhado para a 27ª DP (Vicente de Carvalho). Os três feridos foram levados em estado grave para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha.

Entenda o crime

O cabo Márcio Passos Barcelos e o sargento Ezequias Veríssimo dos Santos Filho foram mortos no último dia 15 quando passavam pela Avenida Ministro Edgard Romero, em frente ao Morro do Cajueiro, em Madureira. Um grupo de cinco bandidos em dois carros roubava uma van de entrega da Souza Cruz, quando viu a patrulha e começou a atirar.

O crime aconteceu durante a manhã quando uma van da empresa de cigarros Souza Cruz parou em um sinal de trânsito na esquina das ruas Edgard Romero com Leopoldino de Oliveira. Um Chevrolet Astra, de cor prata, parou atrás do carro de escolta da van, três bandidos renderam e tomaram os revólveres dos seguranças. Outro criminoso rendeu o motorista e o ajudante e o quinto ladrão arrancou o GPS.

Neste momento, uma viatura da Polícia Militar trafegava na direção contrária. Os bandidos começaram a gritar 'bolinha' fazendo referência ao veículo da PM e começaram a atirar. O cabo morreu no local. O sargento tentou correr até um posto de gasolina, para buscar abrigo contra os tiros, mas também não resistiu aos ferimentos.

Os militares ainda foram socorridos por populares e levados para os hospitais Salgado Filho e Carlos Chagas. Os bandidos levaram as duas pistolas calibre 40 dos policiais, um fuzil, além dos dois revólveres dos seguranças da empresa de cigarros.

Os bandidos fugiram. Até esta quarta-feira, a polícia já tinha feito diversas incursões ao Juramento, Cajueiro e em outros morros da região com o objetivo de localizar os criminosos.

Um deles, conhecido como "Mão", foi reconhecido por testemunhas. Ele é acusado de ter matado um cabo da PM em junho de 2009, em Irajá, na Zona Norte.

O DIA ONLINE - RIO

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

PM apreende escopeta e crack na Vila Vintém

Policiais do 14º BPM encontraram 2.290 pedras da droga.
Na Cidade Alta, foram apreendidos 1.600 sacolés de cocaína e uma pistola.

Do G1, no rio

Policiais militares do 14º BPM (Bangu) apreenderam uma escopeta calibre 12 e 2.290 pedras de crack na tarde desta terça-feira (26) na Vila Vintém, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio.

Também nesta terça, policias do 16º BPM (Olaria) prenderam o suspeito de gerenciar o tráfico de drogas na Cidade Alta, em Cordovil, no subúrbio do Rio. Na ação, os PMs também apreenderam 1.600 sacolés de cocaína e uma pistola 9 milímetros.

Pela manhã, em uma outra operação no Morro do Fallet, em Santa Teresa, no Centro do Rio, os policiais prenderam um homem identificado como chefe do tráfico do Morro da Coroa, também em Santa Teresa.

À procura de assassinos de PM

Além dele, outros cinco suspeitos foram presos e um menor foi detido na favela. Na ação, foram apreendidos fuzis, pistolas e grande quantidade de munição.
Segundo a polícia, o objetivo da operação é apreender armas e drogas na comunidade.

Os agentes também estariam à procura dos homens que atiraram num carro da PM que estava estacionado na descida do Elevado Paulo de Frontin, na Cidade Nova, no dia 17.

No ataque, um policial militar morreu e outro ficou ferido.

G1 > Edição Rio de Janeiro

Civil prende chefe do tráfico do Morro da Coroa em operação no Fallet

POR BARTOLOMEU BRITO

Rio - A Polícia Civil informou, nesta terça-feira, que o chefe do tráfico de drogas do Morro da Coroa, no Catumbi, foi preso em uma operação realizada no Morro do Fallet, em Santa Teresa, Zona Sul, para tentar encontrar os responsáveis pela morte de um sargento da policial militar, na Cidade Nova, há dez dias. Gordo AK, como é conhecido, estava com um fuzil, tentou tomar a arma de um delegado, mas foi impedido.

Foto: Fábio Gonçalves / Agência O Dia

Os presos e o material apreendido foram apresentados na sede da Core | Foto: Fábio Gonçalves / Agência O Dia

Gordo AK, cujo primeiro nome é Bruno, foi preso pela segunda vez - na primeira, foi acusado de ser um dos responsáveis pelo arrastão no Túnel Santa Bárbara. Ao ser capturado pela polícia, acabou defecando na viatura. Nesta terça, depois de ser dominado pelos agentes, deu um salto e tentou tomar o fuzil de um delegado. Outro delegado e titular da Core, Marcos Castro, se envolveu em luta corporal com Gordo e acabou machucando a mão.

A operação começou por volta de 7h e contou com cerca de 50 agentes das delegacias de Combate à Drogas (Dcod) e da Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos (Drae). Eles tiveram auxílio de um veículo blindado (caveirão) e dois helicópteros. Na chegada dos policiais à comunidade houve intensa troca de tiros que durou aproximadamente 10 minutos.

Além de Gordo AK, a polícia deteve outros cinco suspeitos e apreendeu um menor de idade - um deles estaria envolvido na morte do PM na Cidade Nova. Um menor e outro suspeito maior de idade foram liberados após averiguação. Os agentes também encontraram uma garagem que servia de depósito para duas prensas novas - os equipamentos estavam prontos para compactar maconha em tabletes e recarregar muição.

Também foram encontrados folhas de papel para embalar crack e cocaína e porções destas drogas. Também foram apreendidos quatro pistolas, quatro granadas, dois rádios de comunicação, um fuzil, sete carregadores, um celular, quatro tabletes de maconha, sacos com munição, um cinco de guarnição de uso militar, uma metralhadora M1, LSD e uma touca ninja.

Os homens mantidos sob custódia policial foram levados para a sede da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core). Eles foram identificados como Bruno Alves (Gordo AK), Jone dos Santos (22 anos), Antônio Cláudio (34), bandidos do Fallet; Juan de Castro (20 anos) e Edmundo Luiz (21 anos), criminosos provenientes do Morro da Coroa. Gordo AK estava preso em Bangu 4, há quatro meses, e liberado há três dias.

Em uma bela praça localizada dentro de uma vila de casas, na Rua Eliseu Visconti, os agentes encontraram uma grande gaiola com duas tartarugas marítimas dentro. Manter estes animais em cativeiro constitui crime contra a fauna. A polícia tentou localizar o dono para prendê-lo, mas não obteve sucesso.

O DIA ONLINE - RIO

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Tenente da PM recebe convite para ser rainha de bateria

Eliane Maria

Tenente da PM recebe convite para ser rainha de bateria

A tenente Júlia Liers: apelido carinhoso na Baixada. Foto: Michel Filho/O Globo 

Para aqueles que nunca ouviram falar na Independente de São João de Meriti, o carnaval deste ano pode ser um marco. A escola do Grupo Rio de Janeiro II (antigo Grupo de Acesso C) promete fazer muito marmanjo pensar em trocar o desfile de domingo do Grupo Especial, na Sapucaí, pelo da Intendente Magalhães, em Campinho. E por uma bela e ousada razão: sua rainha de bateria, a tenente da Polícia Militar Júlia Liers.

Formada pela Academia de Polícia Militar Dom João VI há três anos, Júlia, de 24, é lotada no 23 BPM (Leblon). Mas foi no 39 BPM (Belford Roxo), onde atuou como relações públicas e chefe da reserva de armamento, que ficou conhecida pela beleza e pelo trabalho com a comunidade.

A Pocahontas

A passagem pelo batalhão da Baixada Fluminense, região na qual a tenente nasceu, valeram à oficial o apelido de Pocahontas — bela índia personagem de um desenho da Disney — e uma homenagem em outdoor pelo Dia Internacional da Mulher.

— Eu só conhecia a tenente Júlia por fotografia e pelo outdoor. Como a escola tem uma parceria com a Casa de Cultura de São João de Meriti, tive a oportunidade de encontrá-la por lá, em outubro, e fiz o convite. Eu a chamei por ser bonita e por ser policial. Esperamos que cause um rebuliço na Intendente — afirma Manoel Honorato, presidente da Independente.

E num ensaio fotográfico em sua página no Orkut.

Forcinha do ‘BBB 10’

Manoel Honorato acredita que a estreia oficial da oficial da PM não será vetada pelo comandante geral da corporação, coronel Mário Sérgio Duarte:

— Em dezembro, ela me disse que aceitaria o convite, mas que, antes, precisava conversar com o comando da corporação. Acredito que o fato de haver uma PM no ‘BBB’ (a baiana Anamara) vai ajudá-la a conseguir a autorização. É importante para quebrar essa ideia de que os policiais não interagem com a comunidade.

Foto: reprodução do Orkut

Festa de coroação está prevista para 5 de fevereiro

A tenente da Polícia Militar Júlia Liers foi submetida a uma cirurgia, recentemente, e está de licença médica até o dia 4 de fevereiro. Um dia depois, a escola planeja fazer uma grande festa para coroar a oficial como a rainha de bateria da escola e lançar o CD com o samba do enredo deste ano — “Da chibata à gravata, São João de Meriti canta a africanidade”.

— Eu tenho mantido contato com a tenente, que está de licença médica. No dia da coroação, va$fazer uma festa para lançar o CD e receber personalidades como o (ator) Antônio Pitanga. Nosso enredo falará sobre África, religião e negros bem sucedidos — explica Manoel Honorato.

Se o comando da PM aprovar, a tenente virá diante dos ritmistas, ao lado de duas professoras primárias e de uma funcionária da Prefeitura de São João de Meriti. O carnavalesco Robson Goulart, garante o presidente, não ouviu da oficial qualquer restrição para con$a fantasia:

— Ela virá com uma fantasia normal de carnaval. Não houve nenhum pedido ou exigência.

História da escola

O bloco Independente da Praça da Bandeira foi criado em 1961. Quarenta anos depois, juntou-se à uma agremiação, a Arrastão de São João de Meriti, transformando-se na escola Independente da Praça da Bandeira. Em 2009, virou Independente de São João de Meriti.

Manoel Honorato, presidente da Independente: convite pela beleza e pela profissão. Foto: divulgação.

Extra Online

Pai e filho mortos em forró são enterrados na Zona Oeste

Polícia investiga se houve participação de milicianos no crime.
Outras dez pessoas ficaram feridas na confusão em Campo Grande.

Do G1, com informações do RJTV

 

O policial militar reformado Elias Ximenes e o filho, Mário Sérgio de Oliveira, mortos após uma briga em uma casa de forró na Favela da Carobinha, em Campo Grande, foram enterrados nesta segunda-feira (25) no Cemitério de Campo Grande, na Zona Oeste do Rio.

A polícia ainda investiga o que teria motivado a briga e se os envolvidos têm ligação com milícias da região. O crime ocorreu na madrugada de domingo (24) e, além das duas vítimas, outras dez pessoas ficaram feridas.

Durante o velório do marido e do filho, a autônoma Cátia Ramos Ximenes disse que a confusão teria acontecido quando Mário se desentendeu com o ex-PM Lúcio Alexandre Araújo.

“O cara só chegou, viu que ele estava conversando com a menina na parede. O cara já chegou dando um soco na nuca dele e o encostou na parede com a pistola nas costas. Ele gritou pelo pai. O meu marido procurou e viu os caras arrastando-o para jogar lá fora como resto, lixo. E o outro veio com a pistola já de frente para ele”, contou Cátia.

Correria e pânico

Segundo testemunhas, após o desentendimento, Mario teria saído do local e voltado minutos depois acompanhado do pai, o PM reformado Elias Ximenes. Ainda de acordo com os depoimentos, Elias teria chegado à casa de shows atirando.A polícia não descarta a presença de outras pessoas armadas na casa de forró.

Vizinhos do estabelecimento contaram que houve correria e pânico no local.

“Isso aqui parecia uma praça de guerra. Eu acordei desesperada. Comecei a passar mal. Horrível, nunca vi isso na minha vida”, disse uma moradora vizinha à casa de forró.

G1 > Edição Rio de Janeiro

domingo, 24 de janeiro de 2010

Jovem é acusado de matar o pai à facada

Wagner Galante, de 19 anos, está na delegacia de Bonsucesso.
Ele afirmou que os dois discutiram e só queria 'dar um susto'.

Do G1, no Rio, com informações da TV Globo

Foto: Reprodução / TV Globo

Na delegacia, filho disse que só queria 'dar um susto' no pai (Foto: Reprodução / TV Globo)

Wagner Adonis Galante, de 19 anos, é acusado de matar o próprio pai, Anselmo Adonis Galante, de 44 anos, com um golpe de faca de churrasco nas costas. Ele foi preso neste domingo, na 21ª DP (Bonsucesso), no subúrbio do Rio, e autuado por homicídio. A pena pode ser de até 20 anos de prisão.

O enterro de Anselmo será na tarde deste domingo (24), no Cemitério de Irajá, também no subúrbio. O crime aconteceu na casa da família, na Rua Cardoso de Moraes, em Bonsucesso. O jovem foi preso por um vizinho que é do Corpo de Bombeiros.

De acordo com a polícia, na delegacia Wagner contou que durante o dia havia discutido com o pai. No fim da noite, retornou à casa para tentar apaziguar a situação, mas o pai, segundo ele, teria tentado agredi-lo com a faca. O rapaz, então, teria tomado a faca do pai e deu apenas um golpe nas costas.

Anselmo morreu na hora. Ainda segundo os policiais, o jovem alegou que não queria matar, mas apenas "dar um susto".

G1 > Edição Rio de Janeiro

Briga em casa de forró deixa dois mortos

POR MICHEL ALECRIM

Rio - Um tiroteio acabou com dois mortos e pelo menos dez feridos na madrugada deste domingo num forró em Campo Grande. Segundo testemunhas, o ex-PM Lúcio Alexandre de Araújo e o policial militar reformado Elias Ximenes, de 49 anos, se desentenderam e trocaram tiros na casa Night Dance Forró Show, na Estrada do Mendanha, 4.500.

A briga foi por causa de mulher.

Mário Sérgio de Oliveira, 29 anos, filho de criação do PM reformado Elias Ximenez, de 49 anos. Os dois morreram no local.

Mário Sérgio estava no forró e passou a mão no bumbum da mulher do Lúcio Alexandre de Araújo, que é ex-PM e integra a milícia da Carobinha. Ele e outros comparsas milicianos, que frequentam o local, deram uns tapas no Mário Sérgio. Ele telefonou para o pai, que foi até lá levando duas armas.

Foto: Fernando Souza / Agência O Dia

A casa de show tem duas entradas. Cada um deles, com arma na mão, entrou por um dos acessos. Foram até o grupo de Lúcio e começaram a atirar.

O grupo revidou e matou pai e filho. Roubaram a arma deles e arrastaram os corpos até a calçada. A casa de show pertence a um policial civil, mas ainda não foi identificado.

Pelo menos oito feridos foram levados pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Rocha Faria, em Campo Grande. Três deles precisaram ser operados.

Entre os feridos estavam, Vagner Lopes da Silva, Eduardo dos Santos, Marcelo Barreto de Oliveira, Bruno Moraes Carvalho, Géssica Guimarães (menor de 16 anos), Luiz Hamilton Gonçalves de Oliveira e Laurindo Braga da Silva.

Um homem sem identificação deu entrada e foi direto para o Centro Cirúrgico. Além de Lúcio, foi levado para o Albert Schweitzer Juelinton da Silva.

O caso foi registrado na 35ª DP (Campo Grande). Uma equipe fez perícia no local com o apoio da PM. Os responsáveis pela casa de forró tinham trancado a porta e não compareceram à delegacia. O astra branco (LCX-9993) estava com marcas de tiros e manchado de sangue. Perto do carro foi encontrado o corpo de Elias, que tinha uma passagem por tráfico. A maioria dos feridos mora na Carobinha.

O DIA ONLINE - RIO

sábado, 23 de janeiro de 2010

Policial é assassinado após reagir a assalto a ônibus na Dutra

Rio- O policial militar Ângelo Conceição da Silva, de 44 anos, foi assassinado, no fim da noite de sexta-feira, após reagir a um assalto em um ônibus da Linha 122 (Central-Comendador Soares), na Rodovia Presidente Dutra, na altura de Jardim América. O policial trocou tiros com os bandidos, antes de ser executado.

Testemunhas disseram que quatro criminosos anunciaram o assalto na Avenida Brasil, na altura de Parada de Lucas. O policial, que estava em um banco na parte central do coletivo, puxou a arma e fez um disparo em direção a um dos bandidos. Houve troca de tiros. O militar entrou em luta corporal com dois criminosos.

Os bandidos e o policial saíram do ônibus, ainda na Rodovia Presidente Dutra. O militar foi levado para a Rua Professor França Amaral, onde foi atingido por quatro disparos. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu ao dar entrada no Hospital Getúlio Vargas, na Penha. O policial estava lotado no Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv). O caso foi registrado na 38ª DP (Irajá).

O DIA ONLINE

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Policiais ficam feridos em acidente na Glória

Viatura do 2º BPM (Botafogo) colidiu de frente com um Gol, em frente à Praça Paris, na Glória

POR CHARLES RODRIGUES

Rio - Dois policiais militares do 2º BPM (Botafogo) ficaram feridos em uma colisão envolvendo uma viatura e um Volkswagen Gol, na Avenida Augusto Severo, em frente à Praça Paris, na Glória, no início da madrugada desta sexta-feira.  

Foto: Osvaldo Praddo / Agência O Dia

Gol, que trafegava na contra-mão da via, colidiu com a viatura | Foto: Osvaldo Praddo / Agência O Dia

De acordo com os policiais, o Gol seguia na contra-mão da via, quando colidiu de frente com a viatura. O condutor do carro, o médico Antônio Pedro da Paz, de 30 anos, alegou ter feito a manobra errada por desconhecer o sentido da avenida.

O motorista foi submetido a um exame de alcoolemia. De acordo com a polícia, o condutor não estava bêbado. Os policiais militares foram levados para o Hospital Souza Aguiar, no Centro. O caso foi registrado na 5ª DP (Gomes Freire), delegacia central de flagrantes

O DIA ONLINE - RIO

PM encontra laboratório do tráfico na Maré

Casa abandonada fica na Favela Nova Holanda.
Cinco suspeitos foram detidos na operação da Dcod em Acari.

Do G1, no Rio, com informações da TV Globo

 

Policiais do 22º BPM (Maré) estouraram uma espécie de laboratório do tráfico na favela Nova Holanda, no conjunto de favelas da Maré, em Bonsucesso, no subúrbio do Rio, na manhã desta sexta-feira (22).

Na casa abandonada foi encontrada grande quantidade de cocaína, material para refino e embalagem da droga e uma espingarda calibre 12.

Segundo o comandante do batalhão, tenente-coronel Amauri Simões, niguém foi preso. O laboratório funcionava numa casa abandonada da comundidade.

"Recebemos uma denúncia. Fizemos incursões na Nova Holanda e no Parque União, e acabamos descobrindo essa casa, que estava vazia. Recuperamos uma quantidade significativa de drogas lá dentro. Tudo leva a crer que funcionava como um laboratório", disse o comandante.

Na casa foram apreendidos uma quantidade de cocaína em pasta ainda não calculada, dois quilos de cocaína pura, material para preparação da droga - como acetona e fermento em pó e balanças - três mil papelotes de cocaína, cerca de quatro mil embalagens para a droga e um quilo e meio de crack em pedras grandes.

Polícia Civil faz operação em Acari

Também nesta sexta (22), cinco suspeitos foram detidos numa operação na Favela de Acari, em Acari, no subúrbio do Rio. A ação tinha como objetivo apreender drogas e armas e prender traficantes da região.

Cerca de 80 policiais da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) contaram com o apoio de veículos blindados e de um helicóptero.
Além dos detidos, fogos de artifício, munição e radiotransmissores foram apreendidos.

Apreensão na Zona Sul

Em outra ação, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) apreenderam no Pavão-Pavãozinho, na Zona Sul do Rio, três pistolas, duas calibre 40 e outra 380, três carregadores de metralhadora e munição de fuzil. As informações são da assessoria da Polícia Militar.

G1 > Edição Rio de Janeiro

MP vai investigar cartaz com recompensa por criminoso 'vivo ou morto'

OAB-RJ também protesta contra Clube de Cabos e Soldados da PM.
Polícia Militar classificou como 'postura revanchista'.

Patrícia Kappen Do G1, no Rio

O cartaz divulgado pela Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar do Rio, oferecendo R$ 5 mil como recompensa por um criminoso, estando ele “vivo ou morto”, causou indignação na Polícia Militar e em entidades de Direitos Humanos do Rio.

Marcelo Chalréo, vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio, afirmou que a OAB condenou e ficou “chocada” com a atitude da associação, que “deveria estar primando pelo resguardo da legalidade”.

O Clube de Cabos e Soldados da PM divulgou o cartaz após a morte do sargento Wilson de Carvalho, assassinado a tiros na Cidade Nova, no Centro do Rio, na manhã do dia 17.

O carro em que ele estava junto com o soldado da PM Davi de Almeida Wanzeler foi alvo de um ataque. O sargento morreu dentro do carro, e o soldado foi atingido na perna direita.

Foto: Marcos de Paula/Agência Estado

O presidente do Clube dos Cabos e Soldados da PM apresenta o cartaz com a recompensa: 'vivo ou morto'.  (Foto: Marcos de Paula/Agência Estado)

'Não existe pena de morte'

A OAB do Rio sugeriu ao Ministério Público que instaurasse um procedimento para apurar as atividades e a conduta da associação. A sugestão foi aceita pelo MP. Segundo Chalréo, com a iniciativa do cartaz, a associação está incentivando o crime, o que é vedado pela Constituição.

“Toda associação de classe pode organizar-se para fins legais, está previsto na Constituição. Quando ela toma essa iniciativa, ela está incentivando o crime, fazendo apologia ao crime, o que é vedado pela Constituição. Na medida em que ela diz que dá recompensa, ela está tomando um poder que é dever do estado.

O estado é que tem a tutela por aplicar a lei penal”, afirmou, completando: “No nosso direito não existe pena de morte, salvo em caso de guerra. Ela (a associação) incentiva a prática de um crime sem um procedimento judicial de apuração. Ela se coloca à margem da lei ao praticar esse tipo de ato”.

'Política sanguinária'

O advogado disse que dependendo da conclusão do Ministério Público a medida a ser tomada pode chegar ao fechamento do Clube de Cabos e Soldados da PM. Ele lembrou um episódio em São Paulo, em que torcidas organizadas de times de futebol tiveram as atividades encerradas por conta de atos de vandalismo e violência praticados em estádios.

O subprocurador geral de Direitos Humanos do Ministério Público, Leonardo Chaves, afirmou que o cartaz divulgado pelo clube reflete “um pensamento de conter (a violência) com violência”. Segundo ele o MP vai investigar a origem do cartaz, mas necessitam de mais informações sobre o clube.

“O que se pode dizer é que essa cultura de morte é que gera essas coisas. Ou dizer que estamos em guerra, ou praticar uma política sanguinária”, criticou.

A Polícia Militar também condenou a atitude do clube. O capitão Ivan Blaz, em nome do comandante-geral Mário Sérgio Duarte afirmou que “a PM não concorda com esse tipo de postura revanchista como apregoa o cartaz. Além do mais, o clube não representa os anseios da instituição que é levar os marginais à Justiça.”

'É porque não é o filho deles'

O presidente do clube, Jorge Lobão, reafirmou nesta sexta-feira (22) que a intenção não é mandar matar ninguém, mas disse que não vai retirar o cartaz de circulação. E reagiu às críticas: “É porque não é o filho deles, a mãe deles, foi um PM, então a avaliação é muito fria. Eu fui ao sepultamento, eu assisti pela televisão o fato e me comoveu. Lamento que não tenha comovido essas pessoas”.

Na quinta-feira (21) ele já havia afirmado que a intenção de oferecer a recompensa pelo criminoso “vivo ou morto” não era a de incentivar o assassinato do responsável.

“Não é que eu queira matar ninguém, é que eu já tive informações de que as pessoas deixaram de comunicar um assassino de um PM por ele já ter morrido, por isso ofereço R$ 5 mil até pelo atestado de óbito dele”, disse na ocasião, completando: "Não é meu desejo, mas se ele morresse, eu não vou chorar, mas não tenho interesse em mandar matar ninguém”.

Lobão disse também que depois da divulgação do cartaz recebeu algumas denúncias, mas apenas uma que poderia ser considerada importante. Mas, segundo ele, a polícia ainda não foi informada pois o comunicante ficou de completar as informações.

G1 > Edição Rio de Janeiro

PM recupera carga roubada da Polícia Federal

Material estava em van dos Correios rendida no subúrbio do Rio.
Um assaltante foi preso e outros dois fugiram de moto.

Do G1, no Rio

Policiais do 3ª BPM (Méier) interceptaram na manhã desta sexta-feira (22) um roubo a uma van dos Correios, que continha uma carga destinada à Polícia Federal (PF).

Segundo a PF, um assaltante foi preso e outros dois fugiram. Ninguém ficou ferido. A ação dos criminosos aconteceu na Avenida Dom Hélder Câmara, na altura do Jacarezinho, no subúrbio do Rio, numa localidade conhecida como Buraco do Lacerda.

Ainda de acordo com a PF, duas motocicletas cercaram a van e um dos assaltantes entrou no veículo para render o motorista. Os outros dois comparsas seguiram dando cobertura ao assalto. Um motociclista, que passava pelo local e assistiu a tudo, parou um carro da polícia próximo dali para denunciar o crime e policiais deram início à perseguição.

O carro e a carga foram levados para a Delegacia da Polícia Federal, na Praça Mauá, na Zona Portuária. Segundo a PF, a carga, em caixas de Sedex, estava lacrada. Seu conteúdo não foi revelado.

G1 > Edição Rio de Janeiro

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Caça a assassinos de PM gera polêmica entre autoridades

Vivo ou morto

por Isabel Boechat

18.11.2005 - Lucíola Villela - EXT CI- GeralCaixa Beneficente da PM oferece recompensa por pistas de matadores de policiais- Na foto o presidente da entidade Jorge de Souza Lobão segura um dos cartazes.

Uma recompensa de R$ 5 mil, oferecida pelo Clube de Cabos e Soldados pela captura dos assassinos, vivos ou mortos, do sargento da Polícia Militar Wilson Alexandre de Carvalho, gerou uma polêmica, ao abrir uma caçada aos bandidos. O sargento foi executado dentro de um carro da PM na Cidade Nova, no último dia 17.

Segundo o presidente do Clube de Cabos de Soldados, Jorge Lobão, a medida visa a dar uma resposta imediata ao que ele classifica como uma ação ousada dos criminosos que tentam desmoralizar o Estado. Para ele, é hora de responder indo à caça dos bandidos.

Lobão pede no comunicado da recompensa que as denúncias sejam encaminhadas para seu celular. Além de cartazes, faixas e propaganda em ônibus começam a ser fixados hoje em vários pontos da cidade.

‘Polícia é para prender’ Sobre a recompensa, o comandante do Primeiro Comando de Policiamento de área da Capital, o coronel Marcus Jardim, disse que a função do policial militar é prender. Mesmo um assassino de PMs deve ser preso e apresentado à Justiça.

— Polícia Militar existe para prender o criminoso e entregá-lo à Polícia Civil. Eu gosto de ver o bandido preso. O lugar desses marginais é dentro de Bangu 1,2,3,4, onde for, mas, enfrentando as consequências do seu crime — disse ele.

O coronel da PM Paulo Cesar Lopes, blogueiro do Casos de Polícia, foi sucinto em sua crítica:

— Isso é um retorno às práticas obsoletas do Velho Oeste americano.

Caso de Polícia - Extra Online

Carro da Core é alvejado ao passar pela Avenida Brasil

Suspeitos dispararam tiros de fuzil ao serem abordados por policiais.
Quatro equipes fazem incursões em favelas da região atrás dos suspeitos.

Do G1, no Rio

Um carro da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) foi alvejado por tiros de fuzil disparados por traficantes na manhã desta quinta-feira (21), quando passava pela Avenida Brasil, nas imediações de Costa Barros, no subúrbio do Rio. Nenhum policial ficou ferido.

De acordo com o delegado Marcos Castro, os policiais foram alvejados quando abordaram um carro suspeito. Eles mal tiveram tempo de reagir, enquanto os suspeitos fugiram.
Quatro equipes da Core fazem incursão nas favelas da Pedreira e Lagartixa, em Costa Barros, para tentar localizar os criminosos.

PMs alvejados na Cidade Nova

No domingo (17), uma patrulha da PM que fazia patrulhamento de rotina na Cidade Nova, no Centro, próximo do Centro de Convenções da Sul América, foi alvejada por suspeitos que chegaram num carro preto. Um PM morreu e outro ficou ferido.

G1 > Edição Rio de Janeiro

Polícia Civil apresenta acusados de matar policiais civis em São Gonçalo

Rio - A Polícia Civil apresentou, nesta quinta-feira, os quatro acusados de participação na morte do detetive Antônio Cezar Stockler, 50 anos, e do inspetor João Carlos Gomes Coelho, de 47 anos.

Os agentes foram mortos a tiros, no início da tarde de quarta-feira, durante uma investigação sobre o tráfico de drogas, no Largo de Itaúna, no Complexo do Salgueiro.

Um terceiro policial, que participava da operação, nada sofreu.

Foto: Paulo Alvadia / Agência O Dia

Policia Civil apresentou criminosos envolvidos na mortes de dois policiais no Morro do Salgueiro, em São Gonçalo | Foto: Paulo Alvadia / Agência O Dia

Na chefia de Polícia Civil, no Centro, foram apresentados Leandro Marcelo dos Santos (29 anos), vulgo Araki, Michel Santana Fonseca, Vanessa Cortes Lima e Jéssica Cristina Pereira (19 anos). Leandro foi preso no fim da noite de quarta-feira, após 12 horas de buscas, na laje de uma casa, na comunidade Fazenda dos Mineiros, no Complexo do Salgueiro.

A mulher do acusado, Jéssica Cristina Pereira, de 19 anos, que está grávida de oito meses, foi presa algumas horas antes, dentro de uma escola, na Grota do Surucucu, em Niterói.

O DIA ONLINE - RIO

Polícia Civil apreende caminhão com 40 quilos de pasta de cocaína na Penha

Rio - Policiais da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) apresentou, nesta quinta-feira, drogas e armas encontradas por equipes da especializada, em um caminhão, no Mercado São Sebastião, na Penha, Zona Norte do Rio. Durante a ação, também foram presos o motorista José Elisiário da Fonseca, 41 anos, e o ajudante Henrique Moraes dos Santos, 23 anos.

Dentro do veículo, os agentes encontraram 40 quilos de pasta de cocaína sob a cama onde o motorista e o ajudante dormiam. Os agentes receberam a informação de que um caminhão estaria levando o material de São Paulo para a comunidade da Mangueira, Zona Norte do Rio.

De acordo com os policiais, após consulta ao sistema de inteligência, eles verificaram que o veículo já havia passado por Piraí e Paracambi, interior do Rio.

O DIA ONLINE - RIO

'Autores serão localizados em breve', diz delegado sobre ataque a policiais

PM baleado na perna direita prestou depoimento na delegacia.
Peritos estão melhorando qualidade das imagens das câmeras.

Aluizio Freire Do G1, no Rio

Foto: Aluizio Freire / G1

O soldado da PM Davi de Almeida Wanzeler chega à 6ª DP (Cidade Nova) nesta quinta (22) para depor sobre ataque de criminosos sofrido no domingo (17). (Foto: Aluizio Freire / G1)

A polícia já identificou dois veículos Astra pretos, quatro portas, com características semelhantes ao do carro usado pelos criminosos que dispararam contra os policiais militares na Cidade Nova.

O delegado Fernando Reis, titular da 6a DP (Cidade Nova), que nesta quinta-feira (21) ouviu o depoimento do soldado PM Davi de Almeida Wanzeler, baleado na perna direita, acredita que “os autores do crime serão localizados em breve”.

O dois veículos foram identificados em um levantamento de carros roubados, do mesmo modelo, nos últimos 30 dias. O delegado encaminhou ao Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) as imagens das câmeras que mostram o ataque aos policiais. “Eles estão dando um tratamento usando um software que é capaz de ampliar e melhorar a qualidade das imagens. Isso vai ajudar a identificar melhor o carro e aproximar o rosto dos criminosos”, disse.

Fernando Reis, no entanto, não quis adiantar o teor do depoimento do soldado ou confirmar se ele conseguiu reconhecer os agressores. “Não queremos falar coisas que podem prejudicar as investigações”, justificou. O PM Davi, reclamando de dores, não quis falar ao sair da delegacia. Ele estava sendo escoltado por dois policiais. 

Novas imagens

Novas imagens divulgadas na terça-feira (19) mostram em detalhe o ataque. O sargento Wilson de Carvalho e o soldado Davi estavam no carro da PM, estacionados na descida do Elevado Paulo de Frontin, na altura do Centro de Convenções Sul-America, fazendo patrulhamento de rotina, quando homens passaram atirando em um Astra preto.

As imagens da câmera de segurança mostram a patrulha parada na esquina da rua com as portas abertas, na manhã de domingo (17), enquanto pedestres passam pela calçada. O carro preto usado pelos criminosos aparece em seguida. Ele passa devagar, a menos de um metro dos policiais. Depois, o veículo retorna em menos de um minuto. Dois criminosos armados param e começam a atirar.

O soldado sai da patrulha e atira. Ele cai no chão e corre para se proteger das balas. Um dos criminosos rouba a carabina do policial morto que estava na patrulha. O sargento foi atingido na cabeça e morreu na hora. Já o soldado, que ficou ferido no ombro e na perna, foi levado para o Hospital Central da PM, no Estácio, Zona Norte.

De acordo com a polícia, um dos suspeitos seria traficante no morro do Fallet, no Rio Comprido, Zona Norte. Na segunda-feira (18), o advogado do suspeito esteve na delegacia e disse que seu cliente não tem nenhuma ligação com o crime e nem com o tráfico no morro do Fallet.

Investigações

Uma das linhas de investigação é de que os criminosos teriam atacado os policiais para vingar a morte do filho do traficante que chefia a venda de drogas no Morro da Fallet. O rapaz de 17 anos foi encontrado morto numa das vielas da comunidade, no início de dezembro.

O pai do jovem morto é Flávio Pedro da Silva, suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas na região. Contra ele há um mandado de prisão. De acordo com policiais, o suspeito é raramente visto na comunidade. O delegado pediu ajuda da população para ajudar a esclarecer o crime.

O Clube de Cabos e Soldados da PM está oferecendo R$ 9 mil de recompensa a quem der informações que levem a prisão dos assassinos do policial. O número do Disque-Denúncia é 2253-1177.

G1 > Edição Rio de Janeiro

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Policiais civis são mortos por bandidos em São Gonçalo

POR BARTOLOMEU BRITO

Rio - Dois policiais civis foram mortos, na tarde desta quarta-feira, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio.

Os policiais foram atender uma ocorrência na Rua Pedro Corrêa, no Largo de Itaúna, quando se depararam com um grupo de bandidos escondido em uma casa.

Foto: Pedro Andrade / Agência O Dia

O policial Antônio Cézar Fonseca Stockler apresenta armamento em imagem de julho de 2005 | Foto: Pedro Andrade / Agência O Dia

Antes de chegarem à casa onde estavam os bandidos, os policiais passaram na de número 37 na mesma rua, onde os policiais encontraram Michel Santana Fonseca e Vanessa Cortez Lima, de 22 anos. Junto com eles foram encontrados uma submetralhadora 9mm, quatro celulares, munições e uma moto Honda Bross, placa KYX 0924.

Os policiais identificados como Antônio Cézar Fonseca Stockler e João Carlos Gomes Coelho eram lotados na 72ª DP (São Gonçalo).

O DIA ONLINE - RIO

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Policial civil é assassinado com cinco tiros

Marcos Nunes

Crime na Baixada Fluminense

Mais um policial foi assassinado no Rio. O inspetor da Polícia Civil Alfredo dos Santos Nazaré,de 48 anos foi morto com cinco tiros, nesta segunda-feira, quando estacionava o carro , na Avenida Automóvel Clube,no bairro Jardim Redentor,em Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

A vítima foi rendida pelo ocupante de um carro que estava na frente do veículo do policial, próximo a garagem de uma residência. Edson Assunção Dutra Junior, de 22 anos, acusado de ter feito os disparos contra o policial, foi preso por policiais militares. Ele foi levado para a 54ªDP (Belford Roxo).

Este é o quarto policial assassinado no Rio em pouco mais de 72 horas. Nas sexta-feira, dois PMs foram mortos em Madureira por traficantes que tentavam roubar uma carga de cigarros.

No domingo o sargento Wilson Alexandre de Carvalho morreu ao ser atacado por bandidos na Cidade Nova, no Centro do Rio.

Caso de Polícia - Extra Online

Recompensa para quem tiver informações sobre assassinos de PMs

Bruno Rohde

R$ 9 mil

O Clube de Cabos e Soldados da PM está oferecendo uma recompensa de R$ 9 mil para quem oferecer informações que levem à prisão dos assassinos dos PMs atacados em Madureira, na sexta-feira, e na Cidade Nova, no domingo.

No ataque ocorrido no final de semana um sargento morreu e um soldado ficou ferido após ataque de bandidos a um carro da Polícia Militar que fazia patrulhamento na esquina das ruas Beatriz Larragoiti Lucas e Afonso Cavalcanti.

O terceiro sargento Wilson Alexandre de Carvalho foi baleado na cabeça e morreu na hora. Já o soldado Davi de Almeida Wanzler foi socorrido para o Hospital Central da PM, no Estácio, com ferimentos nas pernas, abdômen e ombro direito. Ele não corre risco de morte.

O Clube de está oferecendo uma recompensa de R$ 4 mil a quem der informações sobre os assassinos do sargento Ezequias Veríssimo dos Santos Filho, 46 anos, e do cabo Márcio Passos Barcelos, de 32, executados por cinco bandidos, na manhã de sexta-feira, em Madureira e mais R$ 5 mil para informações que levem a prisão dos executores do terceiro sargento Wilson Alexandre de Carvalho.

As denúncias devem ser encaminhadas diretamente ao presidente Clube de Cabos e Soldados da PM, Jorge Lobão, através do telefone 8181-7307.

Caso de Polícia - Extra Online

PM terá curso para preservação de local de crime

por Camilo Coelho

Delegacia de Homicídios

Foto: Domingos Peixoto / Agência O Globo

A Polícia Militar vai oferecer cursos e palestras para toda a corporação com o objetivo de melhorar a qualidade da preservação de local de crime, facilitando o trabalho da nova Divisão de Homicídios da Polícia Civil. A mudança faz parte de um novo projeto do governo do Estado para aumentar o índice de elucidação de homicídios.

O acordo já tinha sido firmado entre as duas partes e nesta treaç-feira, durante o lançamento da nova unidade, voltou a ser tema de conversa entre a cúpula da segurança.

Segundo o delegado Felipe Ettore, que vai comandar a nova divisão, a preservação do local onde aconteceu o homicídio será essencial para que seja realizado um bom trabalho.

O delegado disse ainda que com o reforço de 200 inspetores e a compra de novos carros, a Delegacia de Homicídios espera chegar ao local do crime em, no máximo, 20 minutos.

- Claro que a Polícia Militar deve chegar antes, porque eles têm homens espalhados em todos os cantos da cidade e são a fonte primária da notícia de homicídio.

Mas temos a intenção de chegar ao local em no máximo 20 minutos e encontrar tudo preservado para um bom trabalho dos peritos - explicou o delegado.

Caso de Polícia - Extra Online

Polícia Civil inaugura nova Divisão de Homicídios, na Barra da Tijuca

Para o delegado Allan Turnowski, chefe da unidade, Rio terá condições de elucidar maioria dos crimes em 48 horas

Rio - Crimes elucidados em 48 horas como em países de primeiro mundo. O que parece um sonho distante pode se tornar realidade no Rio de Janeiro com a inauguração, nesta terça-feira, da nova Divisão de Homicídios da Polícia Civil. O local escolhido para abrigar o prédio da divisão será a Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

"Estamos criando esta nova unidade para que tenhamos condições de resolver crimes em 48 horas. Todas as esferas do poder público estão envolvidas nesta questão para que possamos ter índices de homicídios no Rio de Janeiro parecidos com os das grandes capitais do mundo desenvolvido", disse Allan Turnowski, chefe de Polícia Civil, à Rádio CBN.

Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia

O prédio da nova Divisão de Homicídios é o mesmo que ficava a 16ª DP (Barra) | Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia

A nova Divisão de Homicídios 250 policiais, 130 deles só para investigações, e sete delegados. A equipe vai trabalhar diariamente, não mais por plantões, o que atrapalhava as investigações. A unidade terá ainda peritos, legistas e papiloscopistas que irão ao local dos crimes.

"A aparelhagem desta nova divisão de homicídios leva a Polícia Civil para a era da informática. Tudo agora é moderno. Vamos fatiar e qualificar os crimes no Rio de Janeiro - assassinatos de milicianos terão um peso, crimes passionais outro, assim como tráfico - para podermos assim diminuir as ocorrências", afirmou o delegado.

O número de policiais da nova especializada é cinco vezes maior que o da Delegacia de Homicídios do Centro, que será extinta, assim como a da Zona Oeste (DH-Oeste). A Divisão investigará homicídios dolosos (com intenção de matar), latrocínio (roubo seguido de morte), casos de balas perdidas e encontro de cadáveres (quando for assassinato) que acontecerem na capital.

"Teremos um banco de dados integrado com as polícias e com os estados para justamente pegar criminosos que venham aqui (no Rio) cometam delitos e retornem para seus estados de origem", completou Turnowski.

A especializada vai funcionar no prédio que abrigou a 16ª DP (Barra da Tijuca). O imóvel foi reformado e a Divisão ganhou viaturas novas.

O DIA ONLINE - RIO