sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Cabo da PM é baleado na cabeça durante confronto armado na Zona Oeste

Suposto traficante morreu após trocar de tiros com a polícia. Criminosos teriam tentado se esconder em conjunto residencial. Área foi cercada pela PM. Moradores temeram serem vítimas de balas perdidas

POR CHARLES RODRIGUES, RIO DE JANEIRO

Rio - O cabo da PM João Marcelo Cardoso Caldeira, de 32 anos, foi baleado na cabeça, durante uma troca de tiros com criminosos, no Conjunto Residencial Cardeal Dom Jaime Câmara, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio, no fim da noite de quinta-feira.

Foto: Osvaldo Praddo / Agência O Dia

Carro que estava o policial fica com o vidro destruído | Foto: Osvaldo Praddo / Agência O Dia

Acusado de ser o autor do disparo que atingiu o policial, o suposto traficante, identificado pela PM como Douglas Franco Pituba, de 19 anos, o Reggae, morreu, no confronto, com um tiro no peito, após tentar se esconder em um dos prédios do Bloco B, na Rua Arari.

O cabo Caldeira foi levado para o Hospital da Polícia Militar, onde foi operado. O estado de saúde do PM ainda é considerado grave.    

De acordo com comandante do 14º BPM (Bangu), tenente-coronel José Macedo, dois policiais militares faziam o patrulhamento de rotina na região, quando, por volta das 22h, avistaram criminosos armados, na Rua Arari, antiga Rua I, apontada como ponto de venda de drogas e "filial" do tráfico da Favela Vila Vintém, localizada a poucos metros do conjunto residencial.

"Durante a abordagem, houve troca de tiros. Os traficantes se esconderam em um dos prédios. Durante a perseguição, o cabo PM Caldeira foi baleado. Foi solicitado reforço policial. Cerca de 30 policiais cercaram o conjunto residencial. Após uma tentativa de negociação, que durou cerca de 20 minutos, um dos bandidos reagiu. E na troca de tiros, acabou sendo baleado e veio a morrer", disse Macedo, que ordenou o reforço no policiamento da região.

Segundo a polícia, Douglas Pituba é acusado de ser o chefe do tráfico de drogas na região. O suposto traficante, que seria filho de um policial civil, morreu ao dar entrada no Hospital Albert Schweitzer, em Realengo.

Após uma revista no local, os policiais apreenderam uma pistola taurus, 61 sacolés de cocaína e R$143, em espécie, proveniente da venda de drogas.

Os outros criminosos conseguiram fugir. Uma das viaturas da unidade foi alvejada pelos bandidos. O caso foi registrado na 34ª DP (Bangu).

Moradores temeram serem vítimas de balas perdidas

Alguns moradores do Conjunto Residencial Cardeal Dom Jaime Câmara disseram ter ficado no meio do fogo cruzado. Eles teriam se escondido em apartamentos vizinhos, temendo serem alvos de balas perdidas.

"Foi tudo muito rápido. Quando os policiais chegaram, ouvimos o tiroteio. Quem estava na rua, correu para onde podia. Quem estava no Bloco B, onde houve a perseguição, passou por momentos de tensão", contou uma moradora, que preferiu não se identificar.

"Não sabemos quem atirou primeiro. Só deu tempo de entrar em um bar e esperar acabar o tiroteio. Estava chegando da escola", disse um jovem, de 18 anos.

O comandante do 14º BPM , tenente-coronel José Macedo, no entanto, negou que os moradores de tenham ficado reféns, durante a negociação.

O DIA ONLINE - RIO

2 comentários:

  1. Caldeira!!! nós colégas de farda do 14ºBPM e amigos por escolha estamos torcendo muito para sua pronta recuperação, pois sabemos o excelente profissional e ser humano que você é.
    Que Deus continue olhando por todos nós e principalmente por você neste momento dificil.

    Volte logo para sua familia e amigos.
    Ass: praças do 14ºBPM

    ResponderExcluir
  2. Carlos Eduardo Estevam da Silva25 de outubro de 2009 07:44

    Grande Marcelão nós amigos estamos orando por você, marcelão Deus já esta no controle e a sua saude meu amigo será restaurada, e você retornara para os braços dos seus filhos e dos seus amigos.
    Ass: todos da Família Estevam e seus amigos do Judô.

    ResponderExcluir